Imagem de uma vista com algumas ondas decorativas

Juntos pela vida das lagoas

obras de dragagem no complexo lagunar

Sobre a obra

A Iguá, como parte do seu contrato de concessão, realiza a dragagem nas lagoas, com objetivo de criar novos canais de conexão com o mar e recuperar os espelhos d´água, aumentando a troca hídrica e retirando uma grande quantidade de sedimentos

A dragagem, ao longo de 36 meses, passará pelas Lagoas da Tijuca, Camorim e Jacarepaguá, além dos canais da Joatinga e Marapendi

O projeto está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU: Saúde e Bem-estar; Água potável e saneamento; Cidades e Comunidades Sustentáveis, Ação contra a mudança global do clima; Vida na Água e Vida Terrestre.

Convidamos você a acompanhar nosso progresso e se envolver nesta importante movimento.

Juntos pela vida das lagoas!

Histórico

Décadas de despejo irregular do esgoto e lixo tornaram o Complexo Lagunar um ambiente assoreado e com baixa troca hídrica.

Nas lagoas, ainda estão localizadas grandes cavidades, de até 13 metros, resultado da retirada de material usado no processo de urbanização da região e, hoje, dificultam o fluxo de água e contribuem para a decomposição do material ali acumulado, causando mau cheiro.

historico-20240424111155000

Legado

Com a dragagem, serão retirados sedimentos e lodo hoje acumulados no fundo das lagoas e, com isso, serão reabertos os canais de ligação entre as lagoas e o mar, permitindo uma maior troca hídrica,  aprimorando a qualidade da água e contribuindo no processo de revitalização do ecossistema. 

legado-20240424111205000

Mais pela vida das lagoas

Além da dragagem, a Iguá está investindo em uma série de ações para contribuir com a redução da carga de efluentes e sedimentos lançados de forma irregular no Complexo Lagunar.

São elas: a implementação de Coletores de Tempo Seco (CTS), dispositivos instalados em galerias pluviais, que capturam o esgoto despejado no local;

a expansão da cobertura de esgoto em áreas formais e nas comunidades do entorno do Complexo, de forma a atingir a universalização do saneamento;

o plantio de cerca de 165 mil mudas de espécies nativas, colaborando com o equilíbrio do ecossistema da região.

para-um-novo-capitulo-de-sustentabilidade-20240424110546000

Notícias

Ressaca marítima provoca um aumento da entrada de água salgada nas lagoas.

Ressacas e maré alta ligam o alerta para o impacto na vida aquática nas lagoas.

17 de maio de 2024
igua-da-inicio-a-dragagem-historica-das-lagoas-na-zona-oeste-do-rio-de-janeiro-20240430143430000

Iguá dá início a dragagem histórica das lagoas na Zona Oeste do Rio de Janeiro

30 de abril de 2024
50-mil-mudas-de-mangue-ja-foram-plantadas-no-complexo-lagunar-20240415151354000

50 mil mudas de mangue já foram plantadas no Complexo Lagunar

15 de abril de 2024
200-toneladas-de-lixo-retiradas-na-obra-de-dragagem-do-complexo-lagunar-20240415135445000

200 toneladas de lixo retiradas na obra de Dragagem do Complexo Lagunar

15 de abril de 2024

Dúvidas
frequentes

As obras de dragagem terão uma duração prevista de 36 meses.

A dragagem é um procedimento de escavação que possibilita a retirada de sedimentos (terra, areia, rochas, lixo) do fundo dos rios, lagos, portos, oceano e lagoas por meio de diversos métodos e tecnologias.

Cavas são depressões ou escavações em terreno, geralmente causadas por atividades de extração de materiais, como areia, cascalho ou minerais.

As lagoas da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá, sofrem, desde o início da ocupação da região, com poluição, seja pelo despejo irregular de esgoto ou pelo lixo que é descartado nos rios afluentes e nas próprias lagoas. Esse acúmulo de material, ao longo de mais de cinco décadas, contribuiu para um cenário de assoreamento das lagoas, o que compromete a ligação com o mar, impedindo a renovação hídrica e gerando uma série de problemas, como proliferação de gigogas, cianobactérias e até mesmo, a mortandade de peixes. Diante disso, a dragagem do sistema lagunar se apresenta como uma das iniciativas que impulsionam a mudança do cenário e ajudam a minimizar o problema da circulação da água, uma vez que irá permitir uma maior troca de massas de água com o oceano, o que contribuirá para um volume maior de oxigênio nas lagoas.

As atividades de dragagem terão monitoramento e classificação dos ruídos gerados, visando manter os níveis de ruídos dentro do permitido por lei. Para isso, existe um subprograma específico de fiscalização na obra para o controle e o monitoramento de ruídos, que fará medições periódicas, e terá os resultados acompanhados pelos órgãos públicos competentes. 

Sim, está previsto a implantação que vai abrir três novas áreas de manguezais, com o plantio de 165 mil mudas, tanto de mangue vermelho, quanto de mangue branco e também samambaia do brejo, ampliando a cobertura vegetal nas margens do Complexo Lagunar de Jacarepaguá e garantindo uma maior biodiversidade ao ecossistema. Desde 2022, a Iguá realiza um projeto de recuperação, que em abril de 2024, atingiu a marca de 49 mil mudas de mangue vermelho plantadas nas margens da Lagoa do Camorim. Os manguezais são importantes aliados na revitalização ambiental, uma vez que sua captura de carbono é extremamente alta.

Os equipamentos responsáveis pela dragagem passarão por pontos específicos da Lagoa da Tijuca, Lagoa de Jacarepaguá, Lagoa do Camorim e pelos canais da Joatinga e Marapendi.

Caso queira dar uma sugestão, tirar dúvidas ou mesmo registrar uma reclamação, nosso projeto tem canais específicos para isso. Ligação – 0800 762 1314 WhatsApp – (21) 96573-0011 Site – www.juntospelavidadaslagoas.igua.com.br Canteiro de obras – Avenida Claudio Besserman Vianna S/N, Vila do Pan – Barra da Tijuca/RJ, onde teremos o plantão social para o atendimento presencial da população, com agendamento prévio.

As contratações de mão de obra serão realizadas pelo “Programa de Mobilização, Capacitação e Desmobilização de Mão de Obra”, conduzido pela empresa Dratec. Portanto, fique atento e inscreva-se no site https://www.dratecengenharia.com.br/trabalhe-conosco